segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O impacto ambiental na construção civil

Setor ainda engatinha quando o assunto é transformar o canteiro de obras em um espaço com menos impacto para a vizinhança e para o planeta



O aumento recente da renda dos brasileiros tem sido um impulsionador da construção civil. Novos prédios e casas pipocam por todos os lados das cidades - das grandes e das pequenas. Nas áreas nobres, o número de empreendimentos certificados também aumenta.
Somente o Green Building Council Brasil, que fornece o selo LEED (Leadership in Energy Environmental), um dos mais conhecidos do setor de construções verdes, emitiu 23 certificados para empreendimentos brasileiros até 2010. Esse número coloca o país na quinta posição do ranking mundial.
Ainda assim, certificar não é o único caminho para a redução do impacto. Pequenas ações e mudanças na forma de construir podem fazer com que o canteiro de obras deixe de ser um espaço de desperdício.
A retirada de materiais da natureza, como a areia, e a produção de resíduos, como o entulho das demolições, são questões que podem ser minimizadas. O fator determinante nesse contexto, de acordo com o engenheiro civil e professor da PUCRS Jairo Andrade, é o planejamento.
Um projeto bem elaborado e calculado pode dar destino correto ao lixo produzido e fazer com que materiais pré-fabricados reduzam o desperdício de tijolos, cimento e gesso, por exemplo.
Mesmo custando um pouco mais, os pré-moldados também podem ser montados de forma mais rápida e, assim, reduzir a duração da obra. E menos tempo no canteiro de obras é sinônimo de menos ruído para a vizinhança.
Na busca por novas formas de construir, o Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Escola de Engenharia da USP - São Carlos está testando o uso de tubos de papelão reciclado em paredes verticais. O motivo do engajamento é claro para a arquiteta e doutoranda da USP Gerusa Salado:
- Sabemos que a construção degrada o ambiente, tanto na demolição quanto na extração de materiais do ambiente.
Ainda assim, José Goldemberg, presidente do Conselho de Sustentabilidade da Fecomercio/SP, entende que, quando o tema é racionalização da construção, o país ainda deve percorrer um longo caminho de aprimoramento.
Para estimular o desenvolvimento de construções com mais qualidade e menos impacto, o banco Santander desenvolveu o programa Obra Sustentável, que incentiva construtores a adorar práticas socioambientais positivas no projeto e execução da obra. Entre os aspectos avaliados pelo programa estão exatamente a reutilização, a redução dos produtos consumidos e a reciclagem de materiais


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário